Ainda dá para tirar mais coisas do Twitter

Após uma semana ausente (época de trabalhos finais da pós), cá estou de novo. Só para atualizar, estou lendo o livro Fora de Série, de Malcolm Gladwell, e confesso que terei que fazer um post fugindo da minha linha de atuação só para comentar sobre as idéias do livro.
Mas, enquanto não termino a leitura, eu resolvi esclarecer alguns pontos sobre a extração de informações no Twitter. Existem várias questões relacionadas sobre o que o Twitter pode nos trazer para a análise em mídias sociais. Muita coisa é viagem pura e outras são informações subestimadas.
O fato é que todas as informações que podemos extrair vem da própria ferramenta e podemos ter acesso a elas no próprio site. Se logarmos nossa conta no Twitter, conseguimos saber desde horário e data do post até o aplicativo utilizado. Além disso, podemos saber também quantos retweets seu post ou algum post de um amigo recebeu. Mas apenas os retweets “puros”, ou seja, que foram originários do botão “Retweet”da ferramenta, já que temos a modalidade do Retweet com Comentário, que acaba sendo contado como mention.
Falando em mentions, é aqui que começa as limitações. Primeiro que não conseguimos saber, em termos de volume, nem quanto o seu próprio perfil possui de mentions/reply quanto os dos outros. O volume bruto não conseguimos descobrir, mas alguns aplicativos online conseguem rastrear esse volume e o cruzar com outros dados para se medir a “influência” do perfil. Para mim, é complicado apenas cruzar número de mentions/replys, retweets e o número de posts para se determinar a influência. Acho que o termo “influência” é o problema. O termo mais correto seria “interação”, ao meu ver.
Uma métrica que talvez apoiasse a idéia de “influência” seria o número de visualizações que determinado post ou o total de posts que um perfil recebeu. E não digo apenas na página, e sim em aplicativos do API, como Tweetdeck. Mas aí a questão fica mais complicada ainda. Como saber se seus seguidores realmente leram o seu post? Teoricamente, quem te segue, lê tudo que você posta. Mas isso depende TOTALMENTE do número de pessoas que seus seguidores seguem.
Por exemplo, se uma pessoa segue 1 mil pessoas além de você, as chances de seu post ser lido e “impactar”o leitor. Também depende do tempo de atualização da ferramenta para o recebimento de posts novos, enfim, tem uma série de variáveis nessa métrica.

Difícil implementar isso, mas se um dia tivermos em mãos essa informação, as análises em buzz serão mais precisas e eficientes, além de abrir novos horizontes de pensamento.

Conheça nosso novo projeto:
www.atlasmedialab.com