Três dicas para uma estratégia em mídias sociais para qualquer negócio

*Premissa: encare a palavra negócio fora de seu contexto de mercado: entenda como evento, grupo de discussão, banda, pequena empresa, enfim, qualquer entidade que tenha interesse em entrar nas mídias sociais. Essas dicas valem para tudo!

Muitas pessoas me perguntam o que devem fazer para colocarem seu negócio nas mídias sociais. Geralmente eu digo: o que você quer com isso? A pergunta tem a base essencial do que um planejamento em mídias sociais tem que ter: objetivos. O que você pretende ao criar uma conta no Twitter? E uma fanpage no Facebook? E um blog? Basicamente, a primeira dica que tenho é:

1 – Trace objetivos e, principalmente, como chegará a eles através dos canais que criar.

Não adianta criar uma fanpage e um blog se eles não tiverem um propósito específico para cada um. Ou seja, estamos tratando de relevância. A pergunta é: o que o usuário quer encontrar na fanpage que não encontrará no blog? O que diferencia cada um? Se não sabe responder essas perguntas, considere excluir e enxugar os canais que utilizará.
Uma dica dentro da dica: um perfil do Twitter pode trazer tráfego para seu site/blog/fanpage e também ajuda a disseminar links e informações. Além disso, muitas empresas hoje aderiram ao Twitter para servir de canal de relacionamento com os clientes. Ou seja, o Twitter pode ser uma ótima forma de se relacionar com quem fala sobre seu negócio. Mas como vou saber quem está falando? A próxima dica responde:

2 – Monitore o que falam do seu negócio. E faça as pessoas saberem disso.

Após a consolidação das mídias sociais, a principal mudança sentida pelas empresas foi que as pessoas reclamavam muito mais. Mas não eram pelos canais oficiais de SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor): eram pelos tweets, em posts de blogs, em perguntas no Yahoo! Respostas, em comunidades do Orkut, em relatos no Reclame Aqui e em vídeos no Youtube. Aqui, havia um abismo: como saber o que as pessoas reclamavam se elas não iam nos canais oficiais? Ou o pior: como saber e prever uma crise antes dela explodir? A resposta é: monitoramento.

Não espere que as pessoas venham até o seu negócio e comentem. Vá atrás dos comentários delas. E o melhor: mostre que você ouviu. Se uma pessoa twittar que gostou do post em seu blog, direcione um tweet para ela agradecendo. Se reclamam, faça um post mostrando que leu as reclamações e vai tomar uma atitude. O detalhe aqui é que você que tem que identificar. Quantas vezes você viu alguém reclamando de alguma marca e não direcionou sua reclamação para o perfil oficial?

Ok, mas como fazer isso? Para o Twitter, utilize a sua busca própria (http://search.twitter.com/). Só digitar o termo que você procura que ele mostra os últimos tweets. E se você quer que seja avisado quando tiver mais tweets com o mesmo termo, ele fornece um feed RSS para você colocar em algum agregador (como o Google Reader).

Para blogs, você pode utilizar o Google Blog Search (http://blogsearch.google.com/) ou o Technorati (http://technorati.com/). Para vídeos no Youtube, utilize a busca própria, que pode ser segmentada até para encontrar canais pessoais.

Ok, fiz o dever de casa e já é o suficiente. Não, a próxima dica é:

3 – Faça tudo de novo. E de novo.

As mídias sociais é um processo dinâmico. Se, em uma época, ter um blog e um canal no Youtube era legal, pode ser que depois de um ano, um não sirva mais para seus propósitos. Talvez surja novos canais a acrescentar. Ou melhor: talvez seja mais bacana você prever que novos canais podem bombar.

O monitoramento é um processo constante. Tem que ser feito sempre. E, aos poucos, deve-se expandir a idéia e começar a monitorar outros pontos pertinentes. Por exemplo, se você vai fazer um congresso de games, não seria interessante monitorar o que as pessoas falam sobre congressos da games? Juntando os comentários e idéias, talvez você consiga fazer um congresso que supere as expectativas das pessoas. E isso também vale para o pós-congresso: monitorando os comentários sobre as pessoas, você descobre o que deu certo e o que deu errado no evento. E, se realizar uma segunda edição, não repetir os erros e potencializar os pontos positivos. Enfim, é um universo de utilidades.

Um dia faço uma série de posts sobre possibilidades de uso do monitoramento. Mas espero ter ajudado com esse post e que você comece a enxergar as mídias sociais como um universo rico de possibilidades e informações.

Conheça nosso novo projeto:
www.atlasmedialab.com